Páginas

16 de mai de 2017

Byteball - 'blockchain' reduzido

Depois do advento do bitcoin surgiram muitos clones dele, não são falsificações, são sistemas clonados do sistema base do bitcoin onde os desenvolvedores tentam incluir novas funcionalidades e até mesmo nenhuma :) .

Um dos grandes desafios que o bitcoin enfrentará em sua massificação é a questão do tamanho do blockchain, quem conhece a moeda e sabe o que é blockchain sabe que ele cresce e está crescendo muito. 

Satoshi Nakamoto em seu 'white paper' descreveu um método para diminuir este problema que ainda não foi implementado.

Diante deste problema que poderá inclusive colocar em cheque a funcionalidade do bitcoin surgiram duas moedas com propostas bem interessantes para diminuir o blockchain, uma delas é a PascalCoin, onde o desenvolvedor usou uma estratégia de contador, ele agrega os saldos dos endereços que ele chama de conta, permitindo assim deletar as transações e por consequência diminuir o tamanho do banco de dados (blockchain).


Outra que surgiu com essa proposta é a ByteBall, seu banco de dados é baseado em DAG (Directed acyclic graph - Grafo acíclico dirigido) que reduz drasticamente o tamanho para armazenar as transações e garantir seu funcionamento. Segundo a descrição do projeto: 

"Isto permite que todos os usuários protejam os dados uns dos outros, referenciando unidades de dados anteriores criados por outros usuários e também remove os limites de escalabilidade comum para blockchains, como o tamanho dos blocos.

Além disso esse projeto promete a tão sonhada transação anônima, onde apenas duas moedas conseguiram esse feito mas que enfrentam resistência da comunidade, uma delas é a Monero que seu blockchain cresce muito mais rápido e a Zcash projeto duvidoso no que tange a 'honestidade', por se basear em chaves pré geradas para criar o anonimato.

A byteball tem um token anônimo (segunda moeda) que os desenvolvedores a chamam de blackbyte. Unindo essa duas características que por muito tempo a comunidade do universo de criptomoedas vem almejando.

O interessante desta história toda que você não precisa minerar as moedas, ela ainda está sendo distribuída (airdrop) em cada lua cheia de cada mês do ano de 2017, o pré requisito é que você terá quer ter bitcoins para receber byteball e blackbyte, para consegui-las siga os passos a seguir:

1 - Instale uma carteira de byteball no seu PC ou celular, neste caso recomendo que se for usar os binários mesmo que oficiais instale em uma máquina virtual e se for em um Celular que este não seja usado para armazenar bitcoins ou outra cripto-moeda. Sou paranóico, caso ache que não tem problemas, faça do seu jeito por sua conta e risco!

2 - A distribuição é feita para os portadores de bitcoins e para provar que você é dono das moedas em questão, você precisará, ou mandar uma quantidade de bitcoins oriundas de seu endereço ou assinar o endereço de sua carteria BYTEBALL com o endereço que contém os bitcoins, para que a distribuição seja feita na data programada é feito um 'snapshot' do blockchain do bitcoin e os endereços participantes precisam provar a propriedade das moedas. Siga o procedimento do chatbot descrito no site.


3 - Realizada a prova de propriedade pelo menos um dia antes da data do snapshot você deverá ter moedas (bitcoins e/ou byteballs) no endereço que você assinou e 'disse' ao chatbot. Vale lembrar que se o endereço byteball conter byteball receberá um bonus de 10% do saldo em byteball. As blackbytes são distribuídas dias após o recebimento das byteballs na proporção de 2:1 (2 blackbytes por cada nova byteball).

A proporção de distribuição é a seguinte:
  • 62,5 MegaBytes (62.500.000 byteball) para cada 1 bitcoin proporcional. 
  • 10% do saldo em byteball
  • 2 backbyte para cada uma nova byteball, o saldo anterior não é considerado.
Se for adquirir byteball em exchanges tenha o cuidado por que elas estão sendo identificadas como GygaByte ( 1 GB = 1 milhão de byteball ) 
PS: Para assinar um endereço de bitcoin você precisa ter a chave privada e uma carteira que possibilite fazer isso, recomendo usarem a carteira Electrum.

Remessa internacional utilizando criptomoedas - Bitcoins e alternativas

O advento do Bitcoin fez surgir um concorrente dos bancos e das corretoras de câmbio de moedas estrangeiras. 

Esse método que vou descrever, seu banco ou gerente não vai gostar nenhum pouco, dentro da legalidade e totalmente seguro, como você é seu 'próprio banco', exige um pouco mais de atenção mas não necessita-se ser PHD em remessas internacionais, basta seguir algumas regras básicas. 


O processo é o seguinte: 

1 - Adquirir Bitcoins ou outra moeda com boa liquidez. Esse passo é muito simples, compre Bitcoins, pode ser em exchanges especializadas em criptomoedas ou de vendedores autonômos (P2P - Eu por exemplo, compro e vendo Bitcoins e outras moedas digitais, como por exemplo Monero e Zcash). Esse passo é muito importante pois é aqui que existem alguns riscos envolvidos. O primeiro risco é saber de quem e onde você está comprando, se for em uma exchange tenha certeza que ela não vai lhe dar um calote, a reputação de uma exchange é muito importante, existem no Brasil até a data deste artigo 6 exchanges com boas reputações. Se for comprar de vendedores autônomos certifique-se da idoneidade ou que tenha referências de preferÊncia recomendado por alguma amigo que já fez a operação, comece com valores pequenos e depois da confiança estabelecida negocie valores maiores. A aquisição de bitcoins por meio de corretoras (exchanges) exige documentos, limites de compra e saque, comissão pela intermediação e também para saque, por isso é importante saber os custos envolvidos para não gastar um valor desnecessário, já na aquisição por um intermediário pessoal (P2P) esses custos praticamente desaparecem, mas é bom consultar antes também. 

2 - Encontrar um comprador no país de destino para seus Bitcoins, pode ser em exchange, ATM ou de pessoa a pessoa (P2P), tenha os mesmos cuidados que no passo 1.

3 - Receber o dinheiro pela venda seja em conta bancária ou pessoalmente (cash).

Obs.: Depois de aprendido os passos, sempre verifique se está valendo a pena fazer a operação por este meio. 

Numa primeira vez deverá ter cuidados extras mas ao se familiarizar com o processo você pensará: "Por que não inventaram isso antes!"

Dúvidas ou quer uma consultoria sobre bitcoins moedas digitais, blockchain, entre em contato que terei  o prazer em atendê-los sem compromisso. 



Para saber mais: