Páginas

20 de abr de 2019

O fim se um sistema!

"Lá em 1992, quando Linus Torvalds disse "Eu estou construindo um sistema operacional no meu dormitório porque não tenho dinheiro para comprar um", essa idéia pareceu completamente absurda. Sistemas operacionais eram como enormes edifícios de complexidade que necessitavam de engenheiros para serem construídos. Linus Torvalds começou simples. Ele começou construindo um sistema operacional. Seis anos depois, Linux começou a dominar a indústria da computação e a Sun Microsystems começou a sentir o estrago. Oito anos depois, a Sun Microsystems encabeçou a lista de falidos, a HP foi comprada, seu setor de computação foi fechado e a IBM deu o fora da indústria de computadores pessoais.


Agora, 80% dos celulares no planeta rodam o sistema Android - que a propósito é Linux. Os servidores se conectaram para rodar Linux. Os bancos que usamos rodam Linux. Os sistemas de entretenimento que usamos rodam linux. Os carros que dirigimos rodam Linux. Você poderá perceber se eles pararam de rodar Linux: a telinha azul que o cumprimenta dirá "Blá. Desculpe. Falha. Escolha errada de sistema operacional". Imagine que você está num avião. O sistema de entretenimento que inicia roda Linux.

Se você dissesse, 15 anos atrás, para um engenheiro da IBM "Vocês estão prestes a ser destruídos por um sistema operacional construído por um estudante finlandês em seu dormitório", ele provavelmente riria de você.

Aqui estamos hoje, e o Bitcoin está enfrentando o sistema bancário, a indústria mais poderosa do mundo. E adivinha? O bitcoin vai vencer. Vai vencer por uma razão simples. Não é só porque é melhor. Não é só porque o sistema bancário é usado por gângsters, criminosos e os executivos mais vazios. E também não é porque o sistema bancário passou os últimos 50 anos entregando somente duas inovações aos consumidores - caixas eletrônicos e cartões de crédito - e gastou o resto do tempo tentando descobrir como enrolar você. O bitcoin vai vencer porque é aberto. Em um mundo de pensadores, experimentadores e fazedores, o que é aberto vence. A razão para o sucesso é o fato de permitir que a inovação floresça.”

Andreas M. Antonopoulos
The Internet of Money

Créditos para este texto p/ Wladimir Crippa

31 de mar de 2019

Hard-wallet, Soft-wallet, Paper-wallets ou Brain Wallets?

Desde o advento do bitcoin o grande desafio é manter as moedas longe de oportunistas e manter as moedas seguras e a liberdade de se manter as moedas em seu poder trás também uma maior responsabilidade para si. Neste artigo quero elucidar as diferenças, vantagens e desvantagens dos diversas modos de auto armazenamento. Dos quatro métodos analisados todos tem em comum a posse das chaves privadas, neste artigo aqui explico um pouco sobre isso onde faço uma introdução sobre carteiras de criptomoedas.

Bom levando ao pressuposto que vocês sabem já o que são as chaves privadas e que na verdade são a porta de entrada para que as moedas sejam movimentadas pelo protocolo Bitcoin no blockchain, vamos aos conceitos principais de auto armazenamento,

Cold wallet e Hot wallet
Traduzindo ao pé da letra, são:

    Cold Wallet – Armazenamento a frio, que nada mais é que o método onde as moedas vão para um ou vários endereços onde a carteira permace offline 100% do tempo.

    Hot wallet – Armazenamento a quente, é a carteira que fica online para selecionar, assinar e transmitir a transação, esse conceito é o mais vulnerável, portanto exige maior atenção.

Entendido estes dois conceitos, qual é o melhor?

Em questões de segurança o conceito de Cold-Wallet e o mais recomendado e em termos de praticidade a Hot-Wallet, então qual escolher?

Eu convencionei da seguinte forma, quantidades grandes ou para longo prazo Cold-Wallet, quantidades para o dia-a-dia Hot-wallet.

Vamos então aos meios de armazenamento tanto para Cold-wallet e para Hot-wallet.
Existem três métodos básicos para armazenamento as Hard-wallts, Soft-wallets e as Paper/Brain Wallets.

Soft-wallets
São as carteiras tradicionais que são usadas nos computadores e celulares, como o nome diz dependem de uma arquitetura pré-instalada, como PC, sistema operacional e a carteira propriamente dita.

Este meio tem as seguintes vantagens:
    1 – Fácil de usar;
    2 – Podem ter diversos funções como histórico, assinar mensagens, multi moedas, leitura de qrcode, cotação, etc;
    3 – Proteção por senhas, PIN, etc;
    4 – Gerenciar múltiplas carteiras ao mesmo tempo;
    5 – Multi moedas

 E as desvantagens:
    1 – Passível de ser fraudada por malwares, fishing, vírus, etc;
    2 – Arquivo onde as chaves privadas são armazenadas podem estar vulneráveis como o uso de senhas fracas;
    3 – Bugs na carteira podem levar a perdas de moedas;

Hard-wallets
São hardwares especializados e dedicados ao armazenamento e segurança de suas moedas. Essas carteiras na verdade não são totalmente imunes como muitos pensam e muito menos isentos a falhas ou bugs, aqui um comentário particular, o termo bug advém dos primeiros computadores digitais que eram valvulados e ocupavam a área de uma casa, como eles emitiam calor e emitiam luz, atraiam insetos ou besouros, ou seja ‘bugs’ em inglês e esses benditos teimavam em entrar no recinto e danificavam esses componentes e foi assim que o termo “bug” apareceu no mundo da informática, com o tempo e o advento dos semicondutores esse termo também foi usado para problemas encontrados em programas (software) e não somente em meios físicos (hardware), então quem falar para você que uma hardwallet com problema no teclado touch ou display não é bug não sabe da origem do termo, recentemente um vendedora de bitcoins conhecida da comunidade teve um desses problemas e tentaram desvincular o defeito da carteira com a responsabilidade do fabricante, mas enfim, tudo deu certo, após um empenho de muitos colaboradores as moedas foram recuperadas por força bruta. Voltando, vamos ao que interessa.

Este meio tem as seguintes vantagens:
    1 – Chaves privadas protegidas por chip de segurança, é necessário o acesso físico a ela para  extrair as moedas;
    2 – Uso como cold-wallet simplificado;
    3 – Pouca dependência com outro dispositivo;
    4 – Multi carteiras;
    5 – Multi moedas

E as desvantagens:
    1 – Defeito no hardware pode fazer perder as moedas ou te dar dor de cabeça como no caso relatado;
    2 – Ainda depende de um software para usar as moedas
    3 – O acesso físico por meliantes pode comprometer as moedas.

Paper wallets e Brain wallets
As paper wallets e brain wallets foram as primeiras forma de armazenamento a frio para as criptomoedas, Vou abordar as duas num tópico só pois a diferença entre elas é uma só e as desvantagens e vantagens são as mesmas. As paper wallets são geradas por um número randômico no momento da geração e a brain wallet usa uma frase ou senha para gerar a(s) chave(s) privada(s).

Estes meios tem as seguintes vantagens:
    1 – Podem ser geradas offline;
    2 – Multi moedas;
    3 – Uso único;
    4 – Criptografar a chave privada com senha;

E as desvantagens:
    1 – Necessitam de um software para seleção, assinatura e envio da transação;
    2 – Uso único, por isso é recomendado para uso como ‘cofre’, utilizou uma vez não se usa mais;
    3 – Perder o papel ou esquecer a frase de geração da chave privada (brainwallet)
    4 – O uso de frases com poucas palavras, o termo técnico é baixa entropria, é arriscado pois métodos de força bruta podem quebrar essa senha.
    5 – Podem concentrar em um único endereço muito valor no caso de uma paper wallet tradicional, se usar uma paper wallet ou brain wallet HD (hierárquica deterministica) isso é mitigado, em um outro artigo irei ensinar como criar uma paper wallet ou brain wallet HD.
   

Conclusão
Como todas tem vantagens e desvantagens eu particularmente opto por usar paper wallets HD para uso como cofre e soft-wallets para uso do dia-a-dia. As hard wallets também são boas para o dia-a-dia e não recomendo para uso como Cold-wallet, pois depender de um hardware específico é contraditório no que se diz respeito a liberdade de uso de suas moedas e segurança. Até o momento não vi criarem nenhuma hardwallet a prova de falhas pois concentrar em um único equipamento com poucas chances de recuperação é complicado, por outro lado as soft wallets também tem pontos vulneráveis, ou seja avalie bem antes de usar uma opção ou outra, pois como se diz, com mais liberdade vem também maior responsabilidade.


Links úteis:
    1 – Brain wallet e paper wallet simples
    2 – Brain wallet HD
    3 – Projeto NoWallet, brainwallet descomplicada.